Para ter um time top de talentos, não foque na Retenção. Foque na Proposta de Valor.

Você, cofounder em uma empresa que tem um time maior que 30 pessoas, já pensou como que seria se de um dia para o outro boa parte do seu time decidisse sair da empresa? 

O que fazer para reduzir este risco de forma efetiva?

Na minha opinião e experiência própria, o primeiro passo é escolher a perspectiva correta para modelar o problema. É sutil, mas tem um impacto enorme nas ações que são propostas. 

Prender vs. Atrair

Ao invés de focar em reter (“prender”) as pessoas, pense no que a sua empresa pode oferecer para elas. Qual é a sua proposta de valor para atrair a vontade das pessoas em ficar na sua empresa? 

Para deixar mais tangível, seguem dois exemplos de framings diferentes. Um exemplo mostra como “prender” as pessoas e o outro exemplo mostra como deixar a sua empresa atrativa, a ponto das pessoas querem ficar.

Perspectiva 01:  O que fazer para evitar que as pessoas saiam? Como faço para “prender” as pessoas?
1. Pagar um curso ou treinamento e exigir que a pessoa fique por X anos. Se sair antes, terá que pagar uma multa. 

2. Pagar bônus anualmente, somente para quem estiver na empresa na data do pagamento. Quem sair antes não recebe nada, o pagamento é binário: tudo ou nada. 

3. Montar um plano de carreira longo e atrativo, mas que é difícil ou demora muito para a pessoa ser promovida porque os saltos de remuneração são grandes. Ou seja, se a pessoa esperar até a (demorada) promoção, essa espera vai “valer a pena”, porque a diferença vai ser grande.

Olhando assim, é fácil perceber as desvantagens destas ações. Todas elas geram um desincentivo de saída temporário. São algemas que perdem o efeito com o passar do tempo. E pior, elas geram riscos de evasões concentradas em determinadas datas. 

No geral, este tipo de iniciativas também podem gerar emoções relacionadas à aprisionamento e desconfiança, uma relação de perde-ganha entre sua empresa e seu time. 

Por outro lado, se você usar uma outra perspectiva (um outro framing), as iniciativas resultantes podem ser bem diferentes. Veja exemplos abaixo.

Perspectiva 02: O que fazer para as pessoas quererem ficar? O que posso oferecer de valor para que a minha empresa seja atrativa?
1. Cultivar uma cultura que incentiva o aprendizado e desenvolvimento das pessoas. Disponibilizar orçamento para cursos e treinamentos, constantes. A pessoa vai ficar porque há cursos e treinamentos frequentes e está sempre se desenvolvendo. Há (muitos) casos em que a pessoa escolhe ficar na empresa em que ela aprende e se desenvolve, ao invés de trocar por uma empresa que simplesmente oferece um salário maior mas não tem perspectivas de desenvolvimento.

2. O bônus é pago proporcionalmente ao tempo que a pessoa ficou ou algum outro critério de proporcionalidade. Não há “algemas” para a pessoa ficar até a data do pagamento. Gera-se uma percepção de critérios mais justos. A pessoa pode sair quando quiser (se quiser sair…).

3. Montar um plano de carreira com critérios de progressão claros e prazos compatíveis com a progressão de desempenho das pessoas. Promoções com “saltos” menores e mais frequentes podem ser mais atrativos, ao passo que dão senso de progresso de carreira e de reconhecimento financeiro.

Estas iniciativas podem gerar emoções de pertencimento e fidelidade (ao invés de aprisionamento e desconfiança). E, por ser algo bom, elas querem que a empresa prospere e se dedicam para isso acontecer. Desta forma, elas podem crescer juntos com a empresa. É uma relação ganha-ganha.

Neste caso, as pessoas ficam na empresa porque querem estar lá ao invés de ficar porque foram impedidas de sair.

Para resumir: seja a Netflix ao invés de TV à cabo. Lembre-se do processo de contratar e cancelar sua assinatura com TV à cabo: ao contratar o serviço eles te oferecem um desconto condicionado à sua “fidelidade” por 12 meses. Ou seja, uma algema no contrato.

E quando você quer cancelar eles te dizem: “Um momento, vou te transferir para o departamento de ‘retenção‘ de clientes.” – não é isso que as empresas te falam? O resto da história você já conhece… 

Já a Netflix… tem uma pegada bem diferente. Ela está numa saga incansável para criar experiências de uso e conteúdos de qualidade, de forma que você tenha vontade de continuar assinando o serviço. 

E então, este texto fez sentido para você? 
Se você quiser transformar este texto em ações práticas, comece a elaborando o EVP – Employee Value Proposition (Proposta de Valor às pessoas Funcionárias). E se você tiver alguma dúvida ou quiser mais dicas de como montar o EVP da sua empresa, pode me procurar no Linkedin ou me enviar um email. 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: